Top Posts do Blog
Cabelo

Minha Transição Capilar que NÃO deu certo!

03 outubro 2017

Bom, aliso meu cabelo e tenho aplique desde os meus 14 anos.

Já tive todos os tipo de cabelos possíveis, sempre gostei de mudar, na realidade acho que não me encontrava em nenhum cabelo que eu tinha.

Quando pequena minha mãe me colocava na banheira e eu ficava horas lá, ela desembaraçava meu cabelo e fazia trançinhas eu só chorava era terrível, como doía.

Com o passar dos anos cabelo para mim era algo relacionado a dor, sempre foi e até hoje é.

Nunca foi algo prazeroso,ter aquela sensação maravilhosa de estar maravilhosa de cabelo novo, por muitos e muitos anos na minha vida não tive isso.

Trançinhas era o penteado que eu mais usava, cresci e fiz permanente, era bem trabalhoso, eu tinha bastante cabelo e não tinha paciência de cuidar, não deu certo.Os salões de beleza nunca sabiam cuidar dos meus cabelos crespos e eles sempre passavam algo no meu cabelo que o fazia cair e danificar os fios, deve ser por isso que eu não gosto de salão de beleza, nunca vou, faço tudo sozinha.

Depois de trançinhas e permanente, coloquei aplique de nozinho, aplique de queratina e telinha, depois dessa fase de apliques coloquei lace wig e estou até hoje, mas durante esse percurso de lace teve meu big chop e a minha transição.

Em outubro de 2014 resolvi fazer a transição capilar e conhecer meu cabelo crespo, a última vez que tive contato com meu crespo eu tinha 12 anos.

Como eu sou um ser humano sem paciência, fiquei apenas um mês em transição e no mês de novembro cortei meu cabelo todo, peguei a tesoura e cortei, nem lembrava como ele era mais.

E começou a minha batalha, comprei produtos e mais produtos para cuidar dele e cuidei.Dava muito trabalho mas eu cuidava, me esforçava.Nunca gostei de cuidar dos meus cabelos, sou vaidosa, gosto de estar bonita, me sentir bonita, mas sentir dor para arrumar o cabelo sempre foi algo traumatizante pra mim, não gosto.

Uso aplique desde os 14 e uso lace desde dos 18, então meu cabelo natural ficava ali quetinho, relaxava ele com guanidina em casa, pois se ele estivesse muito alto atrapalhava o aplique ou a Lace.

Quando ele começou a crescer e atrapalhar a lace eu fiz trançinhas raiz.

A cada dois meses ia na casa de uma moça que fazia trancinhas.Eu desmanchava as trançinhas em casa, hidratava, ficava com ele solto uns dias e ia na moça refazer as trançinhas, fiz isso até ele crescer.

Toda vez que eu soltava as trançinhas para desembaraçar, lavar, era sofrido, doía muito, chorava, era estressante.

Meu cabelo natural é o 4 c, não forma nenhum tipo de cacho e é bem fininho, por ele ser bem fino embaraçava muiiiiito.

Fiquei nessa rotina durante 02 anos e meio, fiquei uns dias para ver se eu me adaptava ao meu cabelo natural, já que ele já estava bem grande, grande surpresa, não me adaptei.

Eu me olhava no espelho e não me achava bonita, não gostava do que eu via, não era eu.

E eu me sentia péssima, triste, por que eu não me aceitava assim? achava errado, era o meu cabelo, meu cabelo natural!

E eu simplesmente não gostava, eu não me gostava assim, fiquei mal, lutando contra.

Não me aceitar ia contra tudo que eu acreditava, estávamos e estamos vivendo em um mundo com cada vez mais mulheres empoderadas, donas de si, orgulhosas e etc..

Eu via na rua meninas negras com aquele black power lindo, aquele cabelão maravilhoso, conversava com elas e contava um pouco sobre não me adaptar, elas me incentivavam e eu acreditava que eu ia me adaptar, mas não, não me adaptei.

Fique mais ou menos um ano assim, não gostando do que eu via, um belo dia, peguei a tesoura e cortei tudo, TUDO.

Durante esse tempo não deixei de usar lace, me encontrei no aplique cacheado que eu usava, me gosto assim, me amo assim, não é o meu cabelo natural, mas é meu, eu paguei e paguei caro haha.

Aceitei que não me gostar de cabelo crespo não vai fazer eu ser menos negra, ou menos empoderada, menos dona de mim, menos do que uma menina que tem aquele crespo maravilhoso.

Uma vez li uma frase que resumiu o que eu estava pensando : ‘ Aceite seu crespo, mas aceite quem prefere alisar’

Nunca fui de ligar para opinião alheia, quando se trata de alguma coisa relacionada a minha pessoa, sempre decidi tudo de acordo com o que eu achava que era certo.

Não me arrependi, não sou de me arrepender das coisas, sou feliz assim, me gosto assim, quando tenho vontade de usar liso, uso, cacheado uso, o cabelo é meu e eu faço o que eu quero com ele. Se um dia eu decidir dar mais uma chance para o meu crespo, eu vou dar.

Se tem alguma coisa na sua vida que te incomoda, MUDA, vai lá e TROCA, não fique vivendo aquilo, por que você acha que as pessoas não vão gostar ou que alguém vai te julgar. Liga o botão do Fod#-s* e vai. As vezes temos vergonha de usar determinada roupa ou pintar o cabelo ou ter alguma coisa que a sociedade não aceita, não faça isso. Pinta esse cabelo, usa essa saia,compre o que você quer, faça o que você quiser fazer, o corpo é seu o cabelo é seu, o dinheiro é seu.

O importante é você estar feliz, ser feliz.

Se você é negra e luta a cada dia para que a sociedade aceite nosso cabelo, que o nosso cabelo é lindo sim, você mais que qualquer outra mulher tem que aceitar que tem meninas assim como eu que são negras e que não querem ter o cabelo crespo, que preferem alisar, que preferem raspar,usar aplique, relaxar, fazer permanente, usar tranças.

Bom, essa é a minha experiencia com o big chop e a transição capilar que não deu certo, na internet nunca vemos relatos sobre as coisas que não dar certo, né!? As pessoas não gostam de falar muito sobre isso, mas a vida não é um conto de fadas, perfeita, a lá novela, a vida é fod#, as coisas dão errado. Se você assim como eu não se adaptou com o seu cabelo natural, não se sinta sozinha, provavelmente tem várias meninas como você e eu.

Então é isso!

Alguma dúvida?

Me deixe um comentário!

Gostou do post?
Clica no coração!

Beijos, até a próxima

Deixe seu Comentário
5 Comentários
  1. Mariene Lopes   •   27/10/2017   •   13h15

    😚

  2. Marjorie   •   14/12/2017   •   13h21

    A M E I esse POST, da pra curtir 2x?
    Meu cabelo tbm é crespo, como vc conhece.
    Sempre me senti mais bonita com o cabelo alisado, tanto é que desde que me intendo por gente uso meu cabelo liso. Agora encontrei minha cabeleireira perfeita que faz a minha definitiva, retoco a cada seis meses, quando faz 3 meses de definitiva, já tem praticamente 3 dedos de raiz, não gosto de ser escrava da chapinha, faço uma progressiva pra ajudar, quando está chegando quase no dia do retoque da definitiva, meu cabelo ja está com quase 6 dedos e já fica mais complicado de arrumar, daí eu uso ele mais preso, rabo de cabelo. Pq eu estou falando isso, pq minhas duas irmãs usam os cabelos delas naturais, e já me falaram MILHÕES de vezes “pq vc não assume seu cabelo?!” Pq o cabelo é meu, eu que decido o que eu faço com meu cabelo, e eu não vou deixar de ser menos negra tendo cabelo liso. As pessoas tem que parar de ficar dando pitaco no nosso cabelo, só por conta do nosso tom de pele.
    Repito novamente amei o post, me sinti várias vezes dentro desse post. E continue arrasando aí Marizinha. Beijos gata 😘

    • Marisa Lopes   •   15/12/2017   •   05h22

      Ohn, e eu amei o seu comentário, Marjorie! Simmm é verdade, nos temos que fazer o que nos quisermos com o nosso cabelo e não só com o cabelo, com nosso corpo e tudo que quisermos fazer!
      Fico feliz que você gostou!
      Beeeeeijos e obrigada! <3

  3. Marisa Lopes   •   13/06/2018   •   15h25

    Oiee Michele, que bom que você se identificou com meu post, fico feliz!
    Não é fácil mesmo! Não estamos sozinhas, tem várias meninas que passam por isso, e é normal, você vai achar uma forma, um jeitinho para encontrar seu cabelo ideal, tenho certeza, e o importante é não ter medo de arriscar, se der errado, tenta de novo!!! beeeijos!

  4. Priscilla   •   15/09/2018   •   08h17

    Amei o seu post! É exatamente o que penso me identifiquei show!!

Instagram
Siga @blogmarisalopes
Topo